Cervejas da Brouwerij’t Ij chega no Brasil

0
139
Foto – Divulgação

A história da cervejaria começa em 1985, quando o músico e compositor da banda Door Mekaar, Kasper Peterson, procurou local para comercializar sua cerveja caseira experimental. Em uma turnê ao sul da fronteira holandesa, conheceu as cervejas belgas, que ainda não eram produzidas em Amsterdã.

Kasper decidiu produzi-las na Holanda, e buscando um local para abrir a cervejaria, encontrou uma velha casa de banhos municipal em desuso, que era comum na região antigamente. Ainda tinha sistema de abastecimento e drenagem de água, azulejos fáceis de limpar e gerador de vapor. Era o edifício perfeito para um cervejeiro, e ainda tinha o maior moinho de vento de madeira da Holanda bem ao lado como ponto de referência.

Foi com este pioneirismo que a cervejaria t’IJ se tornou a maior e mais conhecida cervejaria de Amsterdã. 

Com a demanda muito maior, uma nova cervejaria foi inaugurada a 700 metros do local original em 2013 e a cervejaria original hoje produz todas as cervejas para consumo no bar local, além de produzir algumas receitas experimentais exclusivas para os visitantes.

ZATTE TRIPEL

A Zattefoi a primeira receita produzida pela “Ei”, em 1985, tornando-se uma cerveja clássica e carro chefe da marca. Foi a cerveja produzida pelo Kasper, que o fez procurar uma cervejaria para comercializá-la, e então nasce a Brouwerij’t Ij.

A tripel, na tradição belga, é uma categoria reservada para as cervejas claras mais fortes, e a Zatte corresponde às expectativas. É uma cerveja dourada e encorpada com um aroma de frutas frescas misturado ao toque de malte. Não-filtrada, tem sabor ligeiramente adocicado, com um final seco. Clássica, mas remetendo à Europa dos anos 80: rebelde.

T IJWIT

Em 2002 as cervejas session e leves não eram comum na Holanda. Quando Kaspar resolveu produzir uma cerveja fresca para o verão, voltou à tradição belga, produzindo uma witbier, estilo que costuma ter um ABV de 5 a 6%, então uma wit de 7% era considerada forte. Em 2012, na releitura da receita 10 anos depois, o ABV baixou para 6,5%, ainda assim acima da média das wits tradicionais.

A T IJWIT seria uma cerveja sazonal, apenas produzida no verão, porém hoje é uma das cervejas mais vendidas e está disponível durante todo o ano.

Uma cerveja de trigo encorpada, ligeiramente turva, tem uma bela cor dourada e uma espuma macia. Usando ingredientes frescos como semente de coentro e limão, tem um acabamento leve e macio, um contraponto à picância e poder alcoólico.

T IJ IPA

Uma IPA de receita clássica inglesa, com lúpulos americanos, e a criatividade e audácia holandesa. E foi esta audácia que reduziu em 0,5% o teor alcoólico da T IJ IPA depois de anos, para que ficasse ainda mais equilibrada.

Não filtrada, tem cor mais escura, com sabores de lúpulo bem marcados, já que são adicionados no processo de maturação da cerveja, além da fase de fermentação, o que traz notas de toranja e flores, em contraste com o amargor de final seco, que fica na boca por um bom tempo.

BLONDIE

A Blondieé a primeira cerveja em lata da cervejaria, que agora busca ter a própria linha de envase em lata e não está longe disso!

A Blondie é suave e fácil de beber, de cor dourada, sabor e aroma levemente maltados. Como é fabricado na tradição belga, leva cevada, trigo e aveia e a própria levedura IJ.

Ah importante: a pronúncia da Brouwerij’t da “Ei” Ij é algo como “Brouéri Ei”!

Gostou? Corra até a loja e escolha as suas cervejas Brouwerij’t clicando AQUI!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here