Maria Guerrero um Habano de 44 anos de idade

0
872


Tudo começou a quatro ou cinco anos atrás quando ganhei um Tubo de Aluminio do charuto Hoyo de Monterey Coronation de um amigo colecionador de puros em Havana, Cuba. Achei interessante,  pois era um charuto que  já não era mais produzido só que ele pediu para abrir e ver o conteúdo. Para minha surpresa em seu interior tinha um charuto com 12,5 cm de comprimento e cepo 40 envolto em uma folha de cedro. O charuto era um Maria Guerrero Favoritas em Cedro.
Logo me dei conta que estava com um charuto muito antigo e quis saber mais. Ele me contou que a marca foi criada em 1905 por José Rodriguez Fernández conhecido como Don Pepin e proprietário da fábrica de charutos Romeo y Julieta para homenagear a famosa (na época) cantora Maria Guerrero.
A marca sempre foi considerada irmã da Romeo y Julieta e até a Revolução Cubana tinha 25 formatos distintos, bem diferente da Romeo y Julieta que tinha 132 (hoje são 23 formatos). Depois da revolução a produção da marca caiu drasticamente sem uma explicação. Em 1968 dois modelos feitos a máquina foram lançados Bouquets e Favoritas em Cedro que deixariam de ser produzidos em 1980.  Em 1970 um formato feito a mão, o Grandes de España foi lançado  e era o único produzido até que em 1985 a marca deixou de existir.
Guardei este charuto sempre esperando uma boa ocasião para degusta-lo. Com  meu instagram chegando a 10.000 fotos fiquei pensando qual seria uma boa foto para comemorar isso. Ai veio a idéia, por que não o Maria Guerrero?
Resolvi degustar logo cedo, pela manhã, quando o paladar ainda não estava comprometido.  As primeiras baforadas demonstraram que o tabaco ainda tinha vida. Se ele começou a ser produzido em 1968 ele poderia ter 50 anos, como parou de ser produzido em 1980 poderia ter 38 anos de vida. Para ser justo resolvi fazer a média que dá 44 anos.
É muito tempo, mas o tabaco se comportou muito bem, ótimo fluxo, cinza perfeita e um gosto um pouco apagado de seu antigo sabor mas ainda presente, não era simplesmente mato seco, tinha algo ali difícil de descrever.
Meu primeiro charuto foi em 1992 quando comecei a trabalhar com Habanos. De lá para cá fumei muitos charutos e algumas dezenas de charutos com mais de 10 anos mas nunca um com tanto tempo. Com certeza Maria Guerrero ficará para sempre na minha memória.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here