Os barmen que estão a um drink da eternidade na ALFA

0
354

capa-revista-alfa-edicao-5Na edição numero 5 da revista Alfa minha amiga Ailin Aleixo foi a Grécia assistir a final da Diageo World Class e traz na matéria várias novidades do mundo da coquetelaria.

“Existem 3 pessoas fundamentais em um restaurante: o chef, o sommelier e o bartender”, disse Salvatore Calabrese, 55 anos, um dos mais conceituados mixologistas do mundo, em entrevista à revista ALFA de janeiro. Italiano, ele começou em Londres como ajudante de bar e se apaixonou pelas bebidas e pelos sabores. Hoje é dono de um bar de Londres, o Salvatore at 50, assina uma coluna na revista masculina GQ e tem status de celebridade. Ao lado do americano Dale DeGroff, do japonês Hidetsugu Uemo e do também italiano Peter Dorelli, faz parte do time da vanguarda mundial da coquetelaria, que há muito tempo deixou de dar expediente atrás do balcão e hoje ganha dinheiro dando consultoria a multinacionais de bebidas e palestras.

Barmen-celebridades, eles criaram também nova terminologia para os diferenciar dos meros fazedores de coquetéis. Mixologista é aquele que domina a arte de incorporar técnicas da gastronomia no preparo de drinques e exige grande conhecimento sobre ingredientes e métodos de fabricação de destilados e fermentados. E segundo Calabrese, o que os faz tão especiais, aclamados e, até mesmo, os coloca acima de chefs e sommeliers é a criatividade. “O chef é um grande revista-alfacriador, mas nunca está em contato com o público. O sommelier tem um conhecimento memorável, nariz refinado, mas não cria nada. Nós, bartenders, estamos a todo instante em contato com os clientes, temos o conhecimento profundo do sommelier e o talento criativo do chef”, explica ele, autor de 11 livros sobre mixologia.

Conforme revela a reportagem de Ailin Aleixo, ter um drink assinado por um mixologista é um prazer exclusivo, já que os nomes brasileiros chegam a cobrar R$ 50 mil para montar uma carta de drinque e treinar funcionários. Já os europeus cobram cerca de R$ 130 mil. Já para ter uma assinada por um dos mixologistas mais famosos o preço chega a triplicar. Os que querem chegar lá, podem disputar o Diageo World Class, uma espécie de Copa do Mundo da coquetelaria, cuja edição de 2010, em Atenas, foi acompanhada por ALFA. O vencedor pode passar de bartender anômimo a um dos mais conhecidos mixologistas do mundo em instantes, viajar o mundo, receber propostas de trabalho irrecusáveis e ganhar muito, muito dinheiro.

Quer saber mais? Corra pra banca mais próxima e compre a revista.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here