Um almoço com Jerez em São Paulo

0
427
Um almoço com Jerez em São Paulo
Seleção de Jerez de primeira no Huevos de Oro
Foto – Cesar Adames

Jerez pode ser o nome de uma região, de uma cidade e de um vinho fortificado que cada vez mais teima em desaparecer. O consumo da bebida infelizmente vem caído ano após ano. Responsável por uma das harmonizações mais clássicas que eu conheço Jamon & Jerez ainda dá para degustar todos os estilos aqui em São Paulo.

O local é o charmoso Huevos de ORO um bar com os dois pés na Espanha que fica na Rua Pedroso de Moraes 267 e tem no comando as sommelieres Daniela Bravin e Cássia Campos que também dirigem o wine-bar Sede 261 e foram responsáveis pela carta de vinhos da casa. Na parte do cardápio de tapas várias criações da chef Ligia Karazawa que atende muito bem aos vinhos ali servidos.

Com a ajuda da Daniela e Cássia montamos um menu em que é possível combinar todos estilos de Jerez da carta com as tapas do cardápio.

Foto – Cesar Adames

FINO X MANZANILA

Produzidos com a variedade de uva Palomino Fino o Fino é o estilo mais conhecido de todos os Jerez.  Ótimo para iniciar os trabalhos tem notas mais salinas e é um pouco seco, diferente do Manzanilla que pode ser considerado um Fino mais leve e refrescante.

Para harmonizar um trio de tapas clássicos, Aceitunas del Sur (R$ 12) azeitonas marinadas com limão siciliano, laranja, pimenta calabresa, alho e alecrim. Mejillones em escabeche de Jerez (R$ 25) mexilhões frescos escabechados com vinagre de Jerez, cebola e pimentón dulce. Para completar o trio Pâ Amb Tomáquete (R$ 12) pão de fermentação natural com tomate ralado e azeite.

Foto – Cesar Adames

AMONTILLADO

O Amontillado, tem este nome por ter um gosto que lembra vinhos da região de Montilla, é um Fino que envelheceu por mais tempo sem a proteção da Flor.

A sugestão da casa foi a tradicional Fabada asturiana conhecida popularmente como fabada, um prato tradicional da região das Astúrias, na Espanha.. Apesar do nome lembrar o prato não é preparado com Favas e sim com feijão branco o que a torna um tipo de feijoada.

Foto – Cesar Adames

PALO CORTADO

Este estilo de vinho é mais raro de se encontrar, um meio termo entre um Amontillado e um Oloroso. Combinou muito bom com as Croquetas de Cocido Madrileño (R$ 15) inspiradas no típico prato de Madri, o cozido madrilenho, prato feito com grão de bico, frango, carne, chorizo, jamón e pancetta.

Foto – Cesar Adames

OLOROSO

Mais escuro, redondo, perfumado, é o Jerez Oloroso, que a exemplo do Amontillado também não foi protegido no barril pela Flor (capa de leveduras que se acumula na superfície superior do líquido). A combinação sugerida foi o tradicional Rabo de Toro (R$ 30) prato típico da culinária castelhana: rabo de boi temperado e cozido com vinho tinto até desmanchar.

Foto – Cesar Adames

PALE CREAM E PEDRO JIMENEZ

São os dois representantes mais doces dos vinhos de Jerez. O Cream é como se fosse uma mistura de Oloroso com volume e untuosidade mas com um toque de PX. Já o PX ou Pedro Jimenez é produzido com a uva de mesmo nome, de cor bem escura pode ser denso e quase licoroso como um xarope que pode ser colocado por cima de algumas sobremesas. Para finalizar esta belíssima refeição Churros com chocolate (R$ 15) churros com calda quente de chocolate amargo.

Foto – Cesar Adames

HUEVOS DE ORO – Av. Pedroso de Morais, 267 – Pinheiros, São Paulo

Aberto de quarta a sexta – 17:00–21:00
Sábado e Domingo –    13:00–18:00

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here